Contribuição feita pela coach e psicóloga: Josiane Firmo, master Coach de Carreira e Psicóloga

 

Vivemos na era tecnológica, num mundo cada dia mais robotizado, onde diversas atividades, antes feitas por pessoas, agora são realizadas por máquinas. E o que estamos vendo é só o começo!

Neste cenário, o candidato que participa de um processo seletivo para uma vaga de emprego pode concluir que seja necessário focar nas competências técnicas, também conhecidas como “hard skills”, habilidades que normalmente se mede através de testes práticos, provas específicas ou até mesmo perguntando sobre cursos que o indivíduo já fez, livros que leu, etc.

Nesta perspectiva, ele faz de tudo para tornar seu currículo atrativo, com diversos cursos em diferentes instituições e países, fluência em vários idiomas, domínio de inúmeras ferramentas e softwares, participação em múltiplos projetos…

Isso é ótimo, porém não é tudo!

As competências técnicas, expostas de forma sucinta no currículo, podem até te levar a uma entrevista, entretanto o que as pesquisas vêm apontando é que existem outros fatores mais valorizados na hora da contratação, da decisão sobre qual candidato, de fato, tem mais chances de trazer melhores resultados para a empresa.

Imagino que você esteja curioso para desvendar qual é a chave que abre as portas para o tão sonhado emprego, certo? Adianto que é algo que as máquinas não podem executar, é exclusivamente humano: as Competências Comportamentais, ou “soft skills”. Essas dizem respeito ao “como fazer”, enquanto as competências técnicas estão relacionadas ao “o que você sabe”.

As competências comportamentais têm maior peso na contratação. Elas também são decisivas na hora em que a empresa (líder e RH) vai escolher quem tem mais condições e méritos para ser promovido. Até no momento do desligamento essas competências são cruciais na palavra final sobre quem deixa e quem permanece no time da organização.

Veja algumas competências comportamentais que estão em destaque no mercado de trabalho e que serão ainda mais requisitadas no futuro pelas empresas, independente da área de atuação que você escolher: adaptabilidade, capacidade de resolver problemas, comunicação, liderança, trabalho em equipe, criatividade, capacidade de negociação, entusiasmo, busca pela evolução contínua, empatia e bom humor.

Se por um lado as competências técnicas são adquiridas por meio de cursos, treinamentos, palestras, livros, faculdades e outras fontes; as “soft skills” são desenvolvidas a partir do autoconhecimento, da tomada de consciência sobre suas capacidades e oportunidades de melhoria.

É neste ponto que o Coaching revela-se uma excelente metodologia para alavancar resultados rumo ao sucesso no processo seletivo, na sua Carreira e, conseqüentemente, em todas as áreas da sua vida.

O futuro que você prevê deve ser criado agora!

Leave a comment