Conheça a história de Elissa, trainee do Banco Santander formada em Design!

Biólogo? Arquiteto? Designer? Historiador?
Acredite, mas ter uma formação pouco comum no mundo dos negócios não é impeditivo nenhum para o sonho de ser trainee.

É claro que muitos programas de trainee acabam sendo mais restritos com relação ao curso de formação, mas algumas empresas não enxergam isso como um impedimento para sua triagem no caminho de ser trainee.
Programas de Trainee como o da Unilever, Ambev e Santander são flexíveis no quesito “curso de formação” e estão abrindo cada vez mais as portas para essa diversidade de formação pois entendem isso como benéfico para a estratégia dos negócios.

Em tempos em que diversidade é vantagem competitiva, é uma estratégia interessante para as empresas trazer para dentro cabeças com formações diferentes, provocando um desafio do status quo e enxergando essa heterogeneidade como uma ferramenta poderosa.

A questão é: como usar isso à seu favor durante um processo seletivo altamente competitivo?

Elissa Suzuki, Designer de formação e trainee em 2017 no Banco Santander contou para a MeuEntrevistador quais foram as estratégias que ela usou para se destacar com um curso de formação tão diferente do usual no ambiente corporativo.

“Durante os processos seletivos, eu sempre fazia questão de falar que eu era Designer e citava como isso poderia trazer um diferencial para a empresa. Usei minha diferença como uma vantagem, ao invés de tentar justificar o por quê de estar fazendo algo que pessoas do meu curso normalmente não sonham em fazer. ” – afirma Elissa.

Em um vídeo curto, Elissa dá dicas práticas pra quem está prestes à participar de processos seletivos de trainee e não tem formação convencional para o mundo corporativo.

 

Quer saber mais sobre como se destacar em processos seletivos?
Vem conferir essas e outras dicas práticas de quem viveu tudo isso na pele na MeuEntrevistador:

www.meuentrevistador.com.br

Esse post é feito em parceria com Estágiotrainee.com

One comment
  • Thiago Queiroz
    Posted on 3 de maio de 2018 at 10:18

    O bom é que hoje o tcc não é mais obrigatório, e ainda conseguimos aproveitar algumas cadeiras de outros cursos para terminarmos uma administração por exemplo.

    Reply

Leave a comment